5 práticas de design para e-learning que deixam seu curso mais confiável

Da facilidade de navegação à credibilidade conferida ao conteúdo, boas práticas de design para e-learning transformam a experiência de aprendizagem para melhor. Portanto, é importante prezar pela parte visual do seu curso on-line.

O cérebro humano capta diversos elementos para construir sua percepção do ambiente. E como imagens têm maior apelo, elas contribuem bastante nesse processo. Qualquer traço de incoerência ou inconsistência leva à rejeição e tira a credibilidade do conteúdo. Já uma estética agradável e condizente com o objetivo do material tende a conquistar o público.

Por isso, separamos cinco aspectos cruciais de design para e-learning que você deve considerar na criação de cursos a distância. Coloque-os em prática pessoalmente ou sugira ao designer responsável pelo conteúdo.

Identidade visual

Ao escolher a paleta de cores, o tipo de imagem (ou estilo de ilustração), entre outros recursos gráficos, é imprescindível que estes casem com o objetivo do curso e com a marca da empresa, se for um curso corporativo.

Por exemplo, em um curso sobre primeiros socorros, cores neutras e ilustrações dão um tom mais leve. Uma paleta vermelha e preta com fotos explícitas já transmite outra impressão, dessa vez mais apelativa. Tudo depende da linha que você deseja seguir e do perfil do público-alvo.

Consistência

Escolhida a identidade visual, todo o design para e-learning deve ser consistente do início ao fim do curso.

Caso falte um padrão estético nas telas, pode-se ter a sensação de falta de continuidade, o que tira a credibilidade do conteúdo e confunde o aluno. As piores consequências disso são o abandono do curso e a descrença no responsável por aplicá-lo.

Tipografia adequada

Esse é outro fator sutil que altera a percepção do aluno. Determinadas fontes transmitem mensagens por si só.

Um exemplo é a Comic Sans, que se adequa a peças informais. Utilizá-la em um material informativo cria incoerência visual, assim como colocar uma fonte formal em um conteúdo mais descontraído.

Botões destacados

Desenhados para receberem cliques, os botões devem se destacar do restante do texto. Se o aluno tem dificuldade de identificar esse elemento clicável em meio ao conteúdo, vai desistir de seguir em frente. Mesmo que prossiga, haverá um desgaste que prejudica a experiência de aprendizagem. Essa é mais uma prova da importância do design para e-learning.

Elementos interativos

Um dos diferenciais do e-learning é a interação. Mas para que isso funcione, os elementos interativos precisam ser facilmente identificáveis (tal como os botões!).

Para tanto, uma solução é colocar setas, círculos e animações que destaquem onde o aluno deve executar a ação. Adicionar uma pequena caixa descrevendo a ação também ajuda, por exemplo: “Clique nos números”, “Clique nos ícones”.

O poder do design para e-learning

Somados, todos esses pontos transmitem credibilidade, facilitam a aprendizagem e encorajam o aluno a concluir os cursos. Com a evasão reduzida, você evita prejuízos e colhe os frutos planejados com o seu projeto de EAD. É hora de alcançar os seus objetivos!

Compartilhe com seus colegas para eles colocarem em prática também!

Imagem via Freepik

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *