Como otimizar o conteúdo e facilitar a aprendizagem em cursos EAD

conteúdo de cursos EAD entrando na memória do aluno

A finalidade de uma peneira é separar o descartável do refinado. Mas quando ela recebe material demais, perde a eficiência, pois fica entupida. O mesmo acontece com nossa memória: exposta a informações em excesso, tem dificuldade para filtrar o que importa. Por isso, ao criar cursos EAD, deve-se priorizar o conteúdo mais relevante a fim de facilitar a aprendizagem.

Essa estratégia é eficiente porque funciona em harmonia com o cérebro humano. Em vez de forçar o aluno a aprender de maneira antinatural, vamos otimizar o conteúdo ao funcionamento da memória dele.

Tipos de memória

Quantas informações e estímulos você está ignorando agora para ler este texto com atenção? São dezenas de sons, odores, objetos, pensamentos, emoções, etc., que seu cérebro ignora para focar no que interessa. Se não fosse assim, sua memória se sobrecarregaria.

No que diz respeito à nossa capacidade de reter informação, cientistas dividem a memória em:

  • Memória de curto prazo: para lembranças imediatas.
  • Memória de longo prazo: para toda a vida.

Pense em um refrescante suco de laranja caindo no copo após deixar a poupa da fruta no coador. A peneira é a memória de curto prazo, que pegou pequenas porções de material por vez e as descartou em seguida. A de longo prazo é o copo, que recebeu o produto final e o guardou para o momento de necessidade.

Aplicando essa lógica à criação de cursos EAD, fica evidente que se deve distribuir o conteúdo de modo a evitar a sobrecarga da memória de curto prazo. Isso porque o excesso de informação dificulta a retenção de conhecimento.

Mas como fazer isso?

A resposta está no Design Instrucional, área cujos profissionais são capacitados para estruturar da melhor forma o conteúdo de cursos EAD.

3 dicas para facilitar a aprendizagem em cursos EAD

Seja designer instrucional, seja gestor de projetos, estas orientações serão úteis para você. Com base nelas, você terá parâmetros para se certificar que os alunos do curso não se sobrecarregarão, mas absorverão o conhecimento oferecido.

Defina o formato ideal para ensinar

Tudo depende do perfil do público-alvo, do prazo para a realização do treinamento e da natureza do assunto. Esses e outros quesitos determinarão se o melhor formato para seu curso EAD é vídeo, e-learning, game, etc.

Suponhamos que os profissionais que você deseja capacitar são da área de vendas, têm de 25 a 40 anos de idade e trabalham mais na rua. Provavelmente eles usam com frequência o celular. Sendo assim, o curso poderia ser em formato de pílulas de conteúdo para consumo rápido em dispositivos móveis. Esse formato é conhecido como microlearning.

Apresente uma informação-chave por módulo

Só conseguimos focar em uma coisa por vez. A ilusão de sermos multitarefa se dá porque o cérebro alterna o foco rapidamente entre um assunto e outro. Todavia, há um gasto desnecessário de energia, que pode prejudicar a experiência de aprendizagem.

Outra razão para abordar um tópico por vez é a limitação da memória de curto prazo. Então mantenha a objetividade no conteúdo do seu curso EAD.

Além de dividir o conteúdo dentro de um curso, você pode criar um programa de formação organizado em várias partes. Em ambientes virtuais de aprendizagem, como o LMS webAula, as trilhas de aprendizagem possibilitam isso.

Deixe o design limpo

A aparência importa, afinal um layout mal dividido dificulta o foco, entedia e leva o aluno a se distrair. Até mesmo este texto segue padrões de design criados para facilitar a leitura e assimilação do conteúdo.

Está estruturado em frases curtas e tópicos que seguem uma hierarquia. Até uma lista entrou em cena. Tudo isso visando poupar o seu esforço visual.

Usar uma paleta definida de cores, moderar na quantidade de texto e de imagens por tela também ajuda para um layout limpo.

Menos é mais

Essa máxima popular faz sentido porque coincide com a natureza da nossa memória. Quanto menos informações por vez, melhor nossa capacidade de processamento imediato e assimilação para a posterioridade. Isso vale desde os cursos EAD até outras atividades cotidianas que envolvem aprendizagem: dirigir carro, pilotar moto, andar de bicicleta, dançar uma coreografia, nadar em diferentes estilos, etc.

Mesmo que você não possa colocar em prática pessoalmente esses conceitos, eles ainda o ajudarão. Ao contratar um terceiro para criar seus cursos EAD, como a Fábrica de Conteúdos da webAula, você poderá direcionar e acompanhar o trabalho de design instrucional do treinamento seguindo esses parâmetros.

Imagem via Freepik

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *